in

Casamento judaico: conheça a beleza das tradições

Casamento judaico: conheça a beleza das tradições

Kipá

No ritual do casamento judaico todos os homens devem usar a Kipá, mesmo aqueles que não pertencem a religião judaica. A Kipá serve para mostrar que todos acreditam que existe um D’us, e ele está sempre acima de nós. Por isso ele deve ser amado, respeitado e temido. Deve ser utilizado durante toda a cerimônia e pode ser guardado de recordação pelos convidados.

Casamento judaico: conheça a beleza das tradições

O Talit é outro símbolo muito presente em cerimônia de casamento judaico e usado pelo noivo durante a cerimônia de casamento. Ele serve para lembrar que nós somos mortais e todos são iguais quando se dirigem a D’us.

O casamento judaico não precisa ser realizado, necessariamente, em uma sinagoga. Um costume comum é que o casamento ocorra ao ar livre. Casais judeus podem escolher o local da cerimônia e essa também não precisa ser presidida por um rabino. Qualquer homem mais velho e com mais experiência, que pertença à comunidade, pode presidir o casamento. O espaço também conta com decoração de casamento 2018.

Chupá

A cerimônia, propriamente dita, é celebrada sob o chupá (a pronúncia correta é rupá), que consiste em uma espécie de tenda judaica para casamento, que precisa ter quatro pilares, deve ser aberta nas laterais e coberta em cima. Ele simboliza passado, presente, futuro e o novo lar que está sendo formado. Em baixo do chupá ficam os noivos, seus parentes mais próximos e a pessoa que irá presidir o casamento. Não é um costume judaico ter padrinhos e madrinhas, portanto, o cortejo é formado pela família dos noivos.

Casamento judaico: conheça a beleza das tradições   Casamento judaico: conheça a beleza das tradições

A noiva

A noiva faz o caminho até o chupá com o rosto descoberto e é entregue pelo pai para o noivo, que cobre o seu rosto. Em seguida, acompanhada da mãe e da sogra, ela dá sete voltas em torno do noivo.

A questão do véu simboliza a modéstia da mulher judaica e que o noivo não se importa com sua beleza física, que pode acabar com o passar dos anos. Além disso, segundo os costumes, a presença divina irradia do rosto da noiva no dia do casamento, e isto precisa ficar coberto.

Sete voltas

As sete voltas é uma metáfora à criação do mundo, que ocorreu em sete dias. Dessa forma, as sete voltas significam a criação das paredes da casa do casal. O sete também é considerado um número que simboliza a totalidade e a integridade que o casal não consegue alcançar separado. Depois das sete voltas, a noiva fica ao lado do noivo, demonstrando que sempre estará lá quando ele precisar. Este é um costume de origem cabalística, difundido apenas entre as comunidades judaicas ashkenazitas (ocidentais).

Músicas

A noiva entra ao som de uma música tradicional, chamada Boi BeShalom, que significa “Venha em paz“. Aliás, todas as músicas para casamento judaico são religiosas e possuem alguma mensagem.

No geral, não se usa música durante a celebração, mas ela não é proibida. Pode-se usar sim a marcha nupcial, mas poucos casais a usam porque remete ao uso feito pelo partido nazista da Alemanha durante os anos 1930 e 1940. A maioria dos casais opta por música tradicional judaica depois da celebração, no momento da festa e quando o casal já se casou de fato. Ai sim, os judeus adoram dançar!

One Comment

Leave a Reply

One Ping

  1. Pingback:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *